Gestão de Mudanças

Atingindo o desempenho sustentável com a mudança organizacional

Naturalmente, as organizações desejam obter resultados e benefícios sólidos com as mudanças. Quando nos envolvemos com os clientes, estabelecemos essa meta definindo o sucesso do projeto no início da iniciativa. Mas quando olhamos para a sustentação da mudança organizacional em longo prazo, há um segundo objetivo, possivelmente mais importante, para se ter em mente: o objetivo de alcançar um desempenho sustentável. 

 

Sustentando o desempenho como uma meta 

Como Advisor Sênior de Mudanças da Prosci, minhas discussões com gerentes e executivos se concentram em alcançar um objetivo específico por meio de suas iniciativas de mudança. Quando você olha para o centro do Prosci Change Triangle (PCT) é claro que se trata de definir esse sucesso desde o início. O processo de Gestão de Mudanças da Prosci, o Prosci 3-Phase Process, começa com a definição do sucesso. Novamente, estamos focados em alcançar esse objetivo final. 

Mas, além de atingir o objetivo final, devemos buscar a sustentação de um nível realista de desempenho ao longo do tempo. Saúde e bem-estar são tópicos importantes no momento porque as pessoas estão se sentindo esgotadas. Para ajudar as organizações a lidar com isso e reter colaboradores, estamos cada vez mais discutindo o objetivo de atingir um nível de desempenho sustentável. 

Manter o desempenho pode não estar no mesmo nível que pretendíamos alcançar no início de um projeto. Esta é uma das razões pelas quais considero o Prosci Change Triangle (PCT) tão poderoso.

Na Phase 2 – Manage Change, começamos o acompanhamento do desempenho e a adaptação das ações, antes mesmo de atingirmos a fase de sustentação da iniciativa. Quando chegamos à Phase 3 – Sustain Outcomes, fazemos ainda mais ajustes revisando o desempenho, identificando lacunas e muito mais. Portanto, quando falamos sobre a definição de sucesso no início de uma iniciativa, há uma oportunidade de identificar uma meta provisória com base no que a organização e as pessoas podem manter de maneira realista. Isso significa que podemos ter que ajustar a definição original de sucesso para alinhar com nível de sustentação real possível, o que resulta em ganho de longo prazo. 

Sustentação em Atletas 

A abordagem que os atletas de nível mundial seguem é uma ótima analogia para o desempenho sustentável em mudanças organizacionais. O sucesso final que um atleta pode alcançar é, sem dúvida, ganhar uma medalha de ouro olímpica. O treinamento de alta intensidade que eles realizam antes do evento requer energia de alto desempenho, tanto mental quanto fisicamente. 

Após o grande evento, o atleta muda para uma nova meta de manter a prontidão para mudanças para a próxima competição. Este nível de manutenção do condicionamento físico minimiza o risco de lesões e esgotamento sem comprometer o condicionamento físico. Mais importante ainda, a abordagem permite que o atleta efetue a transição para o treinamento de alta intensidade quando a próxima competição se aproximar. Este nível de sustentação requer que o atleta acompanhe e analise o desempenho, obtenha feedback e faça ajustes. Com o tempo, o sucesso do atleta é definido pelo alcance de muitos objetivos, antes, durante e depois do evento pela medalha de ouro. 

 

Desempenho sustentável nas organizações 

Os líderes costumam almejar um alto nível de desempenho para mudanças de longo prazo porque desejam maximizar o retorno sobre o investimento (ROI) e economizar dinheiro. Essa mentalidade de trabalhar duro e brincar muito pode ser empolgante, mas e quanto aos efeitos de longo prazo sobre os colaboradores? 

Em vez disso, treinamos líderes e equipes para atingir uma meta de “proficiência na utilização de adoção”. Estabelecemos a expectativa de melhorar o desempenho e, então, atingir um determinado nível de proficiência que a organização pode sustentar sem esgotamento. 

Sim, há um nível inicial de sucesso que queremos alcançar, o que deixa todos entusiasmados e motivados por termos alcançado essa meta. Mas de uma perspectiva sustentável de saúde e bem-estar, especialmente agora com COVID-19 e as consequências que temos vivido nos últimos dois anos, o sucesso a longo prazo é fundamental. Portanto, no Prosci 3-Phase Process quando alcançamos a Phase 3 – Sustain Outcomes, é tudo uma questão de voltar e perguntar: “Isto é sustentável?”  

Alcançando o sucesso e o processo de Gestão de Mudanças 

Quando definimos o sucesso usando o Prosci 3-Phase Process, fazemos a pergunta em linguagem simples: “O que estamos tentando alcançar?” 

Em 2020, o COVID-19 exigia uma resposta urgente das organizações para se transformar em um ambiente de trabalho remoto. Podemos identificar vários sucessos alcançados na mudança geral:

  • Conectividade virtual – Configuração de home office, laptop, monitores, internet, telefone, plataforma de colaboração e aplicativos etc.
  • Pessoas – Definir o impacto sobre as pessoas e como farão seu trabalho de maneira diferente
  • Acessibilidade – acesso remoto, segurança, funções e responsabilidades, redirecionar chamadas de entrada etc.
  • Produtividade – Manter os negócios como de costume 

Nesse cenário, a produtividade é a meta de sucesso da “medalha de ouro” alcançada por meio dos três sucessos anteriores. A definição de sucesso? Mudança com sucesso para um ambiente operacional de trabalho remoto para manter a produtividade. 

 

Na Phase 3 – Sustain Outcomes, a pergunta em linguagem simples que fazemos sob a sustentação ativa é: “O que é preciso para garantir que a mudança permaneça?” Para responder a isso, realizamos uma variedade de atividades que levam à manutenção de um modelo bem-sucedido de trabalho para garantir que as pessoas sejam produtivas, confiantes e competentes trabalhando em casa. E, como nosso atleta olímpico, estamos sustentando um certo nível de preparação física, portanto, estamos prontos para a mudança para nosso próximo objetivo, como o modelo de trabalho híbrido. 

O modelo híbrido é um projeto com múltiplos objetivos possíveis, dependendo se sua organização o considera um modelo provisório ou de longo prazo. Os possíveis sucessos incluem:

  • Modelo híbrido – como uma meta de curto prazo (provisória) ou meta de longo prazo;
  • Híbrido parcial – apenas alguns papéis são híbridos a longo prazo, enquanto outros não são;
  • Retorno total ao trabalho local – o trabalho híbrido é apenas parte da transição para a meta de estado futuro.

Independentemente do objetivo final neste exemplo, ele é alcançado por meio de vários sucessos provisórios que se combinam para definir o sucesso da organização. 

Sustentando os resultados como uma capacidade de mudança 

Para as organizações, mudanças bem-sucedidas requerem ajustes em todo o processo de Gestão de Mudanças. Nunca está definido. É aproveitar a oportunidade para voltar e rever as expectativas, ter as conversas e olhar para a mudança de uma perspectiva de longo prazo. A Gestão de Mudanças tende a perder isso porque estamos muito focados no lado do projeto. Na Prosci, ajudamos os clientes a construir a capacidade de mudança com sustentabilidade como parte dessa meta de longo prazo. Em vez de basear a definição de sucesso em uma mentalidade de trabalho duro que leva ao esgotamento e à rotatividade de colaboradores, as organizações precisam adotar uma perspectiva de longo prazo que permita que as pessoas permaneçam prontas para a mudança para o próximo grande evento. 

 

 


Escrito por

Joanne Rinaldi 

Joanne Rinaldi é Master Instructor and Director of Service Delivery da equipe Prosci Austrália-Nova Zelândia. Facilitadora experiente do programa, ela também atua como Senior Change Advisor and leadership coach para clientes que desejam desenvolver a capacidade de mudança organizacional. Joanne traz mais de 20 anos de experiência com o lado humano da mudança para seu trabalho com organizações em vários setores, incluindo TI, seguros, saúde, varejo e governo. 

Deixe um comentário